terça-feira, janeiro 31, 2017


Quinta da Manoella Vinhas Velhas 2014
Espesso, rico, muito complexo. De grande subtileza e elegância.
Z – 92
LP – 92
PV – 92

Pintas 2014
Douro superlativo, de sofisticação e dignidade. Um verdadeiro deleite sensorial.
Z – 94
LP – 94
PV – 94

segunda-feira, janeiro 30, 2017



Manoella Tinto 2014
Douro corpulento que, embora muito novo e está já pronto para beber.
LP – 88
PV – 89

sábado, janeiro 28, 2017


Wine and Soul Tawny 10 anos
Educado e delicado – não está mal para um 10 anos, mas não deslumbra.
LP – 89
PV – 88

sexta-feira, janeiro 27, 2017


Pintas Character tinto 2014
Douro muito robusto e impactante, quase agressivo. Apesar disso, de enorme frescura.
LP – 88
PV – 88

terça-feira, janeiro 24, 2017


Guru Branco 2015
Herbáceo, musculado e complexo, este Douro de castas tradicionais, de altitude, ainda vai aclarar; precisa de repouso e não é para beber já.
LP – 91
PV – 87

domingo, janeiro 22, 2017



Dona Matilde Reserva 2011
Douro, de campeonato superior. Consistente, seguro, de grande dimensão.
Z – 91
LP – 91
PV – 91

sexta-feira, janeiro 20, 2017



h’OUR tinto 2012
Douro Polido e solene, sofisticado.
Z – 89
LP – 89
PV – 89

quarta-feira, janeiro 18, 2017



Romano Cunha 2009
Tinto regional transmontano que, sem deixar de ter a marca austera e agreste, da terra, é honesto e agradável.
Z – 87
PV – 87

segunda-feira, janeiro 16, 2017


Cabriz Reserva Tinto 2013
Dão todo o terreno, que se mantém consistentemente em bom nível há anos. É uma aposta segura, fácil de beber e muito satisfatório, sobretudo com comida. Na sua discrição, não deslumbra, mas impressiona de forma muito positiva. (7,49€). 87

quinta-feira, janeiro 05, 2017

PROVA DE VINHOS DA ADEGA COOPERATIVA DO CARTAXO
Nesta prova vertical, o painel integrou 13 provadores, embora nem todos tenham provaram todos os vinhos (cada um deles, foi provado entre 5 e 9 provadores). Os provadores atribuíram pontuações, a cada vinho, entre 1 e 5. Na lista que segue, indica-se a votação média para cada vinho.
Plexus Branco (7 provadores) 3,3                  
Bridão Reserva Branco 2012 (5 provadores) 4,4                        
Bridão Reserva Branco 2015 (7 provadores) 4                                           
Plexus Rosé (6 provadores) 4
Bridão Rosé 2014 (5 provadores) 3,2
Plexus Tinto (6 provadores) 4,2
Bridão Tinto Clássico 2012 (5 provadores) 3,4
Bridão Touriga Nacional 2014 (7 provadores) 3,7
Bridão Alicante Bouschet 2013 (9 provadores) 4,7
Coudel Mor Reserva 2014 (9 provadores) 4,4
Desalmado 2012 (5 provadores) 4,4

quarta-feira, janeiro 04, 2017


Cedro do Noval 2012
Este tinto é agreste e cuidadosamente rude. Capta bem a essência do Douro profunde e rural. Exige comida tradicional – bacalhau no forno, por exemplo. Neste registo, vai muito bem. (12,49 €)
Inês – 87
PV – 88

terça-feira, janeiro 03, 2017

Conde Julião Branco 2014
De síria, casta nada frequente. Aquosa, fresca, descomprometida. Fresquinha, mesmo. Não acusa nada a idade – mas também não aguentará muito mais a passagem do tempo. Foi bem com um bife. 84

segunda-feira, janeiro 02, 2017

Verdelho da Peceguina 2015
Macio, discreto, com vigor modesto, mas elegante (LP). Notas da casta, pouco evidentes. Educado e com compostura.
Inês – 89
LP – 88
PV – 89

domingo, janeiro 01, 2017


Guarda Rios Tinto 2014
Alentejano discreto e civilizado. Numa apreciação geral, é consensual e muito agradável. (9,99 €)
LP – 88
PV – 88

sábado, dezembro 31, 2016


Quinta de La Rosa Branco Reserva 2013
Gordo, saboroso e pastoso. Tem que ser servido fresco – subindo a temperatura, torna-se verdadeiramente aborrecido.
LP – 86
PV – 86

sexta-feira, dezembro 30, 2016

Esporão Quatro Castas 2014
Rústico e pouco polido. As ditas quatro castas parecem pouco encaixadas. (9,99 €)
LP – 85
PV – 86

quinta-feira, dezembro 29, 2016


Murganheira Malvasia Fina 2010
Espumante de bolhas discretas. Na boa, não é fácil e revela-se muito complexo. Extrasseco, quase a roçar o antipático. Requere comida. Se acompanhado, impressiona muito melhor. 90

quarta-feira, dezembro 28, 2016


Maritávora nº 4 Reserva 2011
No travo, parece chocolate em pó, num vinho de estrutura corpulenta e musculada. Nota-se bem a graduação (15º…). Mais um pouco e entrava no campeonato dos Portos. Arrasta-se na boca, com pompa. E, sem embargo, revela enorme frescura e jovialidade. Grande vinho, picante e especiado. (15 €) 92

terça-feira, dezembro 27, 2016



Fonte da Loba Douro 2014
Tinto jovem e fresco, sem grandes pretensões nem pergaminhos. É multifunções - por isso, em nenhuma delas será estrela. Mas bebe-se bem. 85

segunda-feira, dezembro 26, 2016


Beyra Superior 2013
Em garrafa Magnum, este tinto mostra-se superior, de grande dignidade. É quase de solenidade, a forma como percorre a boca com suavidade. Menos fruta e menos corpo, mas um grande perfil, escorreito e clássico. 90

domingo, dezembro 25, 2016


Allo Soalheiro 2015
Atenua a falta de corpo do loureiro com o alvarinho; por outro lado, compensa a grossura do alvarinho com a frescura e leveza do loureiro. A combinação final é excelente, num vinho muito agradável e fresco, com boa compostura. (5,59 €) 87

sábado, dezembro 24, 2016


Portada Branco 2015
Vinho regional Lisboa com perfil de exportação, ou de venda a turistas ingleses no Algarve. Doce, delicado, fofinho. Neste registo, é vinho para 84. (3,99 €)


sexta-feira, dezembro 23, 2016


Adega de Ponte de Lima Branco Verde 2015
Acidinho, vivaço, com a agressividade no ponto. Nota global de excelente e equilibrado compromisso. 85

quinta-feira, dezembro 22, 2016




Maria de Santar 2014
Tinto do Dão, muito composto e elegante. Corpo no sítio, com boa frescura. Vinho muito equilibrado. Ótimo. 87


quarta-feira, dezembro 21, 2016



Papa Figos tinto 2014
Vinoso, aromático, forte e vigoroso. Ainda em evolução. Ganha baixando-se a temperatura. (7,35 €) 86

terça-feira, dezembro 20, 2016

CARM Douro Branco 2014
Vinho de corpo cheio, voluptuoso. Apesar disso, muito fresco e frutado. É um grande vinho, apesar de assumir, na escolha e castas, as raízes durienses. Equilibradíssimo, nada seco nem docinho ou aborrecido. Foi ótimo com um polvo no forno. (9,99 €) 89
CARM Douro Tinto 2012
Vinho de categoria superior, feito apenas de castas locais. É saudavelmente moderno, no perfil, sem se deixar seduzir pelos padrões globalizados. Apesar disso, tem fruta em abundância e o corpo tonificado. Picante q.b., num conjunto muito equilibrado. (9,99 €) 90

segunda-feira, dezembro 19, 2016


Vila Régia Tinto 2014
Douro mainstream. Aroma intenso. Fruta qb, mais discreta que os taninos, que são muito exuberantes. 85

domingo, dezembro 18, 2016


Montes Ermos Reserva Branco 2015
Este vinho de província, afinal apresenta-se como um vinho modernaço, tecnológico, sofisticado. Mas de base tradicional. Está muito bem e não envergonha ninguém – pelo contrário. (3,29 €) 88

sábado, dezembro 17, 2016


Beyra Branco Colheita 2015

Branco jovem e fresco – de frescura notável para um vinho com tanto corpo e personalidade. Muita fruta, num vinho equilibrado, com a originalidade das castas: síria e fonte da cal. Bom vinho, que vale bem o preço. (4,49 €) 87

sexta-feira, dezembro 16, 2016



Cabriz Colheita Selecionada 2015
Desde que começaram por aqui a anotar-se vinhos, há 13 anos, não deve haver colheita nenhuma de Cabriz branco colheita selecionada que aqui não se registasse. Desde logo, porque é um vinho muito abordável. Depois, porque é bom. Este, de 2015, mantém o standard: moderno, vivo, fresco, com fruta modesta e acidez moderada. É um vinho fácil de beber, consensual. Mas, claro, sem conseguir mostrar nada que lhe dê evidência. Vai muito bem. Mas não se lhe peça mais nada. (3,99 €) 86

quarta-feira, dezembro 14, 2016



Vinha Paz Colheita 2013
Dão fresco e muitíssimo equilibrado e correto. Cai bem e dispõe bem. Apesar disso, brilho comedido e discreto. 87

terça-feira, dezembro 13, 2016

Vinha Grande tinto 2012
Este tinto, que se esperava tender mais para o tradicional duriense, acabou por se revelar persistente e encher o palato – foi quase explosivo na boca. Não obstante, mostrou grande dignidade, numa complexidade clássica. (9,98€)
Z – 90
LP – 89
PV – 90

segunda-feira, dezembro 12, 2016


Meandro 2014
Douro moderno, com notas fortes de fruta. Tem garra, mas ainda está muito novo e verde. (11,39 €)
Z – 91
LP – 89
PV – 90

domingo, dezembro 11, 2016


Duorum Colheita 2013
Douro jovem, fresco e muito vigoroso. Para comida ligeira.
Z – 89
LP – 88
PV – 87

sábado, dezembro 10, 2016


Tyto Alba Vinhas Protegidas 2012
Vinhaça de Portugal (do Tejo) que, com orgulho nisso, é rude e ruidoso. Tem personalidade forte e na boca não aborrece. Vai só ou acompanhado. Aguenta qualquer companhia e qualquer ambiente. 86

sexta-feira, dezembro 09, 2016


Quinta da Mimosa 2013
Tinto para acompanhar queijo. Agressivo e musculado, pede queijo forte. Na boca, é uma castelão mais para o polido, sem deixar de ser potente. É um bom vinho. 87

quinta-feira, dezembro 08, 2016



Herdade do Catapereiro Escolha 2013
Vinho de combate, estruturado e rico. Num segmento médio, é ótimo. Quase merece subir de divisão (4€) 87

quarta-feira, dezembro 07, 2016


Quinta do Cardo Tinto 2013
DOC Beira interior. Touriga domesticado, com fruta equilibrada e frescura no ponto. É vinho para beber novo, enquanto tem foça e viço. Ótimo com carne grelhada. 88

terça-feira, dezembro 06, 2016

Vale D. Maria 2011
Potente, rico, de grande dimensão e garra. Apesar de ainda estar em evolução, é já um vinho corpulento.
LP – 91
PV – 91

Quinta do Pessegueiro 2010
Picante digno, muito elegante e aveludado.
LP – 90
PV – 89


segunda-feira, dezembro 05, 2016



Herdade de São Miguel Escolha dos Enólogos 2014
Estruturado, potente, agressivo, quase selvagem. Vai bem já, como ponta de lança. Mas ainda tem mais para dar, se repousar um pouco (9,9 €). 88

domingo, dezembro 04, 2016



Verdelho Pegões 2014
Este branco monovarietal é equilibrado e mais fácil do que outros monocasta verdelho. Sem deixar de ser consistente e espesso, de corpo algo obeso, até, revela muita fruta fresca e intensa. Mostra talvez menos o habitual caráter herbáceo da casta. Beba-se frio, para não se tornar aborrecido. (5,99 €) 87


terça-feira, julho 19, 2016


Bridão Private Collection 2012

Tinto de porte composto e complexo. É másculo e requere comida. Rancho ou cozido, talvez. Vinoso, a saber a vinha e a campo. Não se lhe peça delicadeza ou finura. 87  






Bridão Syrah 2009
Ribatejano moderno, em toda a sua força. Não sendo jovem, mantém viço e vigor. Fruta ainda bem presente – não obstante, não mostra arestas nem dissonâncias. Está excelente. 89

Bridão Merlot 2005
Este vetusto vinho, com mais de 10 anos, já não está para ser aberto e bebido a correr. Dê-se-lhe tempo. Depois, anote-se o seu aroma incisivo e o seu travo fino e vivo. Na boca, é delicado e nobre. Está em fim de vida, mas não está acabado. Pelo contrário, revelou boa forma e delicadeza. 87

segunda-feira, maio 23, 2016



Cabriz Colheita Selecionada Branco 2014
Fresco, arejado, correto. Muito arredondado, com a acidez e a doçura polida e acertadas. Bom produto de tecnologia a que faltará, porventura, personalidade. De resto, seco, a roçar o masculino, mais agressivo. Mais difícil e impopular. Na mesa, torna-se difícil de combinar, porque para comida é pouco musculado e de pequeno corpo. Mas para aperitivo, por ser pouco exuberante, é mais maçador. Em todo o caso, em comentário ordinário sempre se diria que nada disto é defeito: é mesmo feitio e o vinho até se bebe bem. É um branco para quem gosta de tinto. 86

segunda-feira, maio 16, 2016


BSE 2014
Este branco clássico José Maria da Fonseca é, como sempre, seco de verdade, um pouco acre até. No entanto, não deixa de ser mainstream e neutral. É um vinho muito consensual, que vai com tudo. (4,99 €) 85

segunda-feira, maio 09, 2016


La Trappe Trappist Dubbel vs. Quadrupel

A Dubbel, mais espessa e corpulenta. A Quadrupel, mais delicada, discreta e subtil. A primeira é mais rústica, com corpo mais gordo e esponjoso, de notas caramelizadas. A segunda, uma grande cerveja!











QM Alvarinho 2015
Está verde e pastoso, gordo, mas sem garra ou brilho, falta-lhe vigor (7,99€) 86

segunda-feira, maio 02, 2016



Muros Antigos Vinho Verde Escolha 2014

Acidez revigorante. Apesar de acutilante, agressividade delicada (4,89 €) 84

segunda-feira, abril 25, 2016



Entre II Santos 2010

Tinto bairradino, sobretudo de baga, mas temperado com castelão e merlot. A tender para o ácido. Envelhecido. Para beber já, sob pena de piorar. 80